Publicado em

Vem conhecer nossa produção orgânica!

Embarque nessa com a gente, vem conhecer nossa produção orgânica de pertinho!

O Richard, nosso agrônomo, levou o Elpídio Costa Jr. para conhecer as culturas orgânicas que temos aqui no Sítio e contou um pouco das práticas de plantio, colheita e manejo do solo.

Como estamos no inverno, o Richard mostrou algumas culturas que são típicas dessa época do ano e podem ser encontradas agora na nossa A Boa Terra, como a beterraba, cenoura, batata, tomate, morango e outros.

No vídeo, também é possível visualizar o barracão de processamento, onde os produtos são lavados, selecionados e embalados. Eles também caminham pelas trilhas da nossa reserva natural, mostrando o lago e toda a natureza que está aberta para visitação e disponível para tocar os corações e despertar o amor pela Mãe Terra!

O vídeo completo você assiste no canal do Elpidio Costa Jr, é só clicar no link abaixo!

 

https://www.youtube.com/watch?v=yHcOBHNAmJ4

Publicado em

Canjica Vegana !

Ainda dá tempo de fazer a sua canjica, como é conhecida aqui no Sudeste, ou mugunzá, como é conhecida no Nordeste do Brasil. E, o melhor, com ingredientes orgânicos e nadinha de origem animal! Vamos lá? 

 Ingredientes:

1 xícara (de chá) de canjica

1 e 1/2 xícaras (de chá) de amendoim cru e com casca

1 xícara (de chá) de açúcar demerara ou cristal

1 unidade de canela em pau

2 colheres de coco ralado seco

1 vidro de leite de coco

Resíduos de leite de amendoim torrados

 Passo a passo:

– Leite de amendoim: Lave os amendoins, e coloque-os em uma vasilha; cubra com água e deixe descansando por 12 horas. Escorra e lave rapidamente. Coloque em uma panela, cubra com água e cozinhe em fogo médio até ferver. Quando ferver, desligue e deixe descansando por 5 minutos. Escorra, lave rapidamente e bata em um liquidificador com 1 litro de água filtrada até ficar uniforme. Coe em uma peneira fina.

Canjica: Coloque a canjica em uma vasilha, cubra com o dobro de água e deixe de molho por 12 horas. Escorra, lave e coloque em uma panela de pressão juntamente com 1 litro de água. Deixe cozinhar em fogo médio por 30 minutos depois que pegar pressão e desligue. Caso ainda não esteja macio, deixe cozinhar por mais tempo.

Faça um caramelo com o açúcar e adicione a canjica cozida, o leite de amendoim, a canela, o coco ralado seco e deixe ferver. Em seguida, acrescente o leite de coco, misture e desligue quando o caldo estiver grosso.

Sirva quente ou gelado, com canela em pó salpicada por cima. Você pode salpicar também os resíduos do leite de amendoim torrados.

Resíduos do leite de amendoim: Espalhar por uma assadeira antiaderente e levar para assar em forno médio por uns 20 minutos, mais ou menos, olhando sempre, e mexendo de vez em quando para não queimarem.

Publicado em

Movimento social entrega orgânicos para famílias com fome.

 

A fome no Brasil é uma realidade. Hoje, segundo pesquisa da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar (Rede Penssan), mais de 33 milhões de pessoas não têm o que comer, e mais da metade da população brasileira sobrevive em insegurança alimentar. O levantamento também mostra que apenas quatro em cada dez domicílios brasileiros têm acesso pleno à alimentação, ou seja, são considerados em situação de segurança alimentar.

É inaceitável que isso aconteça em um país com tanta terra fértil como o Brasil. Além de exigir políticas públicas que sejam efetivas no combate à fome e desnutrição no país, é também preciso agir diretamente. E isso pode ser feito através do Orgânico Solidário!

O Orgânico Solidário é uma plataforma sem fins lucrativos que tem como objetivo levar alimentos frescos e  orgânicos para famílias em situação de vulnerabilidade social, envolvendo uma rede de agricultores orgânicos que tem sua produção e renda estimuladas.

Desde Março de 2020, o movimento destina cestas de frutas, legumes e verduras orgânicos montadas por uma rede de operadores que produzem e/ou adquirem alimentos de agricultores orgânicos e os entregam para uma rede de organizações sociais parceiros, gerando renda para quem produz e, principalmente, segurança para quem não tem o que comer.

Nós, da A Boa Terra, temos orgulho em fazer parte deste movimento como agricultores orgânicos, desde seu início. Além de sermos uma empresa parceira na produção e montagem das cestas orgânicas que são distribuídas pelo movimento.

Como funciona?

A Sitawi Finanças do Bem recebe doações de pessoas e empresas para a compra de alimentos. A cada R$60, uma cesta é montada e distribuída. Agricultores orgânicos, em parceria com um time de operadores em cada região atendida, fazem a colheita dos produtos, montagem e entrega das cestas, tudo a preço de custo. Projetos e organizações sociais reconhecidas fazem a distribuição das cestas diretamente para as famílias em situação de vulnerabilidade social, nas comunidades que mais precisam. Cada cesta leva consigo mais de 6kg de itens orgânicos variados, democratizando o acesso a alimentos saudáveis e apoiando o crescimento e expansão da produção de alimentos orgânicos no Brasil.

Quero doar, e agora?

Através DESSE LINK você pode escolher como quer doar. Existem três opções:

  1. Escolha a quantidade de cestas que deseja doar. Através dessa opção, o site informa qual o valor necessário para produzir as cestas e qual a quantidade de pessoas que serão alimentadas com essa doação.
  2. Doação avulsa com PagSeguro, que pode ser feita com cartão de crédito, boleto ou Pix.
  3. Doação recorrente.

Seja uma ponte entre o produtor rural orgânico e as famílias que passam fome no Brasil! 

Visite o site do Orgânico Solidário, saiba mais sobre este lindo trabalho e doe alimentos frescos e saudáveis a quem mais precisa!

Abaixo vídeo sobre essa parceria tão especial entre Orgânico Solidário e A Boa Terra.

 Orgânico Solidário | Vídeo Institucional

 

Publicado em

Bolo de Banana Fácil

Vamos aprender a fazer um bolo de banana cheinho de vitaminas, fibras e minerais? Ele já é um clássico no Centro de Ecologia A Boa Terra e todo mundo ama!

Como ele é bem fácil de fazer, você pode chamar as crianças pra cozinha e colocar a mão na massa! 

Nós vamos precisar de:

1/2 xícara de leite ou leite vegetal

½ xícara de óleo

3 ovos

1 xícara de açúcar mascavo

1 colher de sopa de fermento em pó

1 xícara de farinha de trigo integral

1 xícara de aveia em flocos

1 pitada de sal

6 bananas (pode ser nanica ou prata)

1 pitada de canela em pó

 Ingredientes separados, vamos ao passo-a-passo!

Em uma tigela, misture o fermento e a farinha e reserve. Bata uma banana e os demais ingredientes no liquidificador. Misture essa massa batida à farinha e fermento que você separou no começo da receita. Coloque em uma forma untada e enfeite com fatias fininhas de banana. Polvilhe a canela por cima.

Massa pronta, é hora de ir para o forno pré aquecido. Deixe em torno de 35 minutos, com temperatura a 180°.

Sentiu cheirinho de bolo? É hora de chamar a família toda e experimentar essa delícia saudável e saborosa!

 

Publicado em

Chuvas de verão e seu impacto no campo.

colheita de quiabo orgânico

Com o distanciamento da vida no campo, acaba sendo fácil desconectar o ciclo das chuvas dos ciclos de plantio e colheita do seu alimento.  Mas, na prática da agricultura, a chuva influencia diretamente na qualidade e disponibilidade dos alimentos.

E o que não faltou nesse ano que acabou de começar foi chuva! Só em Janeiro de 2022, tivemos um acumulado de 400 mm de chuva no Sítio A Boa Terra. Isso quer dizer que, em um mês, choveu mais de um terço de toda a média anual de chuvas para a região, que é de 1200 mm. Foi o Janeiro mais chuvoso dos últimos 8 anos!

Essa quantidade elevada de chuvas atrasa bastante o planejamento do plantio e o encharcamento dificulta o preparo do solo e canteiros. Quando a terra é semeada, corre-se o risco da água da chuva arrastar uma parte das sementes e soterrar outra parte, dificultando a germinação. Além disso, o impacto das gotas de chuva compacta o solo e causa erosão, afetando diretamente a qualidade do alimento produzido. Há também a criação de um ambiente propício para pragas e doenças, já que temos altos níveis de umidade e calor, ocasionando o apodrecimento de certas verduras e influenciando na floração.

Para resistir a essas intempéries, em nossa produção orgânica, aproveitamos a época das chuvas para aumentar as áreas cobertas com adubação verde, nutrindo e fortalecendo o solo. Também mantemos o solo coberto com palhada e vegetação, evitando, assim, a erosão e a saturação devida à alta quantidade de água que entra no solo. Além disso, aplicamos e mantemos as curvas de nível, cuidando dos nossos terraços para reduzir a velocidade e escoamento da água da chuva. O resultado desses cuidados é um solo mais estruturado, equilibrado e produtivo.

Com as chuvas, o trabalho do produtor rural também é prejudicado. É penoso, para eles, trabalhar o dia todo com capa de chuva, ficando molhados grande parte do dia. Afinal, ainda que usem equipamentos de proteção, a água acaba entrando na bota e debaixo da capa.

Estes são alguns dos desafios que o verão apresenta à agricultura, tendo impacto direto na produção de alimentos. Para se conectar com as singularidades de cada estação, deixamos o convite: qual tal experimentar novas formas de preparar os alimentos que temos disponíveis na estação? Seu corpo ficará feliz em receber novos nutrientes e sabores! 😉

MAIS SOBRE A BOA TERRA

Se cadastre e receba ofertas fresquinhas, novidades e notícias orgânicas direto no seu e-mail!
Carrinho atualizado